07 junho, 2014

Os pilares de um corpo saudável - a base é igual para todos*.

The body needs the strength pillars (tissues) to be healthy.  Dr. Goutam Gunde



Tudo no corpo necessita de determinados nutrientes para ser construído (formado). Geralmente não sabemos, exatamente, quais os melhores ingredientes para o cérebro, o fígado, mas a maioria sabe da importância do cálcio para os ossos e o que acontece na falta deste. Cada milímetro do corpo necessita de nutrientes que são encontrados nos alimentos que você digere, no ar que você respira e na água que você bebe. Mas algumas pessoas preferem obter de fontes fabricadas.  Alguns elementos não são absorvidos pelo corpo, como a fibra vegetal e sequer tem calorias, como a própria fibra, vitaminas e minerais. As vitaminas, minerais, entre outros nutrientes fabricados não são bem absorvidos (absorção e uso correto) pelo corpo, pelo simples fato do corpo não reconhece-los. Ao contrário dos objetos tecnológicos, o corpo é lento para aderir as novidades. E ainda depende da pessoa rejeitar aquele elemento ou não. Por isso os complexos vitamínicos são fabricados em altas doses do composto prometido, outros que ajudam na absorção e conservantes e outros velhos conhecidos. Tudo isso para que o corpo absorva uma pequena parte, a necessária. Entendeu porque alimentos que dizem acrescentar cálcio, vitaminas, entre outros exemplos, não fazem muito efeito e, muitas vezes, não aportam nada? 
Mas tudo o que é ingerido (seja líquido, sólido ou gasoso) transforma-se no alicerce de todo o seu corpinho.

Se uma pessoa tem um cardápio diário de produtos refinados (quase nulo em nutrientes), sucos de fruta (que só contém água e açúcar), carnes de animais construídos, vegetais e frutas que nasceram em solo pobre e/ou não foi respeitado seu tempo de maduração, lácteos desnatados, etc., etc., etc. Está construindo um corpo fraco. Sabe-se que hoje há uma "epidemia" de obesidade e muito deles são mal-nutridos, por encherem o corpo do que se chama calorias vazias (engorda mas não nutre). E dependente do seu tipo de organismo, do seu estado físico e mental, mais o ambiente em que vive, só o tempo determinará o surgimento de fragilidades, deficiências e doenças.
Mas não para por aqui.
Acrescente a essas calorias vazias os recentes produtos que são adicionados: os agrotóxicos nas plantações, xaropes ricos em frutose nos produtos desnatados, hormônios nas galinhas... e uma infinidade de criações industriais já bem divulgadas na mídia. Uma parte o corpo elimina, pela sua própria inteligência que o rege, mas outra parte se espalha e causa estragos por onde passa, causando grandes problemas quando acumulados e digeridos a largo prazo. 

http://www.anpocs.org.br/

Imagine uma casa (ou um carro, o que quiser) sendo construído. Construções com materiais de qualidade gera algo duradouro, resistente e se há manutenção correta, pode durar séculos. Uma construção com materiais de quinta categoria, dão problemas constantemente, necessitando de uma reforma geral. Ou chega o momento que é melhor destruir tudo para construir algo melhor. Com o corpo humano não é diferente, não dura séculos, mas promove uma melhor qualidade de vida.    

Não podemos condenar a invenções industriais, porque ao mesmo tempo ela criou inúmeros produtos que nos ajudam e melhoraram nossa perspectiva de vida. Como não vivemos num mundo perfeito (alguém aí ainda tem dúvida disso?) e as pessoas - moralmente falando – ainda estão bem longe de atingir a perfeição, devemos dar atenção ao que realmente nos faz bem e nos eleva, e aprender com os erros e más compras o que nos faz voltar para trás na escala evolutiva. Toda vez que vejo um novo anúncio ou mesmo uma nova reportagem prometendo um milagroso efeito de uma frutinha, lembro-me da frase de um dos meus professores de comunicação social: “existe produto, porque têm gente que compra.”
E isso vale para qualquer (qualquer!) produto no mercado, seja ele bom ou ruim. É a lei do mercado. Qualquer estudante de marketing aprende o seguinte: Se não há necessidade, crie-as! Porque as pessoas acham que com os alimentos industrializados e com campanhas publicitárias massivas seria diferente?

Mas estamos aqui para falar de saúde, especificamente, o que os alimentos tem a ver com saúde. E uma conclusão que cheguei é a de que devemos entender de uma vez por todas como o ciclo evolutivo animal, e também vegetal, funcionam. Para isso, comecei a recorrer a livros médicos e químicos, porque não aguentava mais a conversinha fiada de muitas (muitas) reportagens sobre alimentação saudável e artigos médicos radicais que mais parecem ter sido escrito por formandos da Unesquina, pagos por alguma indústria. E claro, porque já me ferrei bonito, várias vezes, acreditando nestes materiais, em gente desinformada e em alguns médicos.

Por isso que, aos poucos, estou compartilhando minhas pesquisas começando pelo livro Fisiologia Humana, do médico americano Arthur Clifton Guyton, autor do livro de fisiologia humana mais lido nas escolas médicas do mundo. Se sabemos o básico de como nosso corpo funciona (aulas de biologia nas escolas devem ensinar isso), já temos uma boa base para discernir o que nos falam. As reportagens (escritas por jornalistas em geral) na área da saúde, são retiradas de artigos científicos. Como esses estudos são extensos e de linguajar técnico, cabe ao jornalista "traduzir" à sociedade o que está escrito ali. Ocorre que os artigos de jornais e revistas (por exemplo) tem pouco espaço, então o jornalista pega o que considera mais importante a ser colocado, muitas vezes se esquecendo de detalhes importantíssimos como quantidade. O café é um bom exemplo dessa confusão. Sabe-se que estudos científicos são feitos e publicados aos montes, no mundo todo. E não são todas as pessoas que tem acesso a eles. Infelizmente, nosso jornalismo não é imparcial, e sempre surge um recente estudo que diz que o café faz mal à saúde e outro que diz que faz bem. Esses artigos muitas vezes desconsideram onde esse estudo foi feito, uma determinada reação pode ser encontrada numa determinada população num determinado clima que não se repete em outras situações. Mas foi publicado que o café é ruim. Muitas vezes, num mesmo estudo encontra-se informações como: café consumido em excesso provoca x,y,z (mau) e consumido moderadamente provoca a,b,c (bom). Se o artigo menciona o estudo, ou pelo menos os cientistas responsáveis, ótimo. Você pode ir até a fonte e verificar. Se não, desconfie imediatamente.     

O básico que todos devem saber sobre o próprio corpo:


A unidade funcional básica do corpo é a célula, existindo cerca de 75 trilhões delas em cada ser humano. A maior parte das células está viva e, em sua imensa maioria, também se reproduz e, com isso, garante a continuidade da vida.
O líquido extracelular preenche os espaços entre as células. Esse líquido é chamado de meio interno do organismo e é nesse meio que as células vivem. O líquido extracelular contém os nutrientes e outros constituintes necessários à manutenção da vida celular. O funcionamento da maior parte dos órgãos que formam o corpo é dirigido no sentido de manter constantes as condições físicas e as concentrações das substâncias dissolvidas nesse meio interno.
Cada sistema de órgãos do corpo desempenha um papel específico na homeostasia (a condição de constância do meio interno é chamada homeostasia). Por exemplo, o sistema respiratório controla as concentrações de oxigênio e de gás carbônico no meio interno. O sistema digestivo processa os alimentos afim de prover os nutrientes adequados para o meio interno. Os rins removem os produtos do metabolismo dos líquidos orgânicos enquanto que, ao mesmo tempo, controlam as concentrações dos diferentes íons. Os músculos e o esqueleto dão apoio e locomoção para o corpo, de modo que este pode buscar a compensação para suas próprias necessidades, especialmente aquelas relacionadas com a obtenção de alimento e de água para o meio interno. O sistema nervoso inerva os músculos e também controla o funcionamento de muito dos órgãos internos, funcionando em associação com o sistema respiratório, afim de controlar as concentrações de oxigênio e gás carbônico. O sistema endócrino controla a maior parte das funções metabólicas do corpo, bem como a velocidade (e a intensidade) das reações químicas celulares, as concentrações de glicose, gorduras e aminoácidos nos líquidos corporais, bem como a síntese de novas substâncias necessitadas pelas células. Até mesmo o sistema reprodutor tem papel na homeostasia, dado que leva a formação de novos seres humanos e, por tanto, novos meios internos para substituir os mais antigos, que envelhecem e morrem.

O termo metabolismo significa, simplesmente, a totalidade das reações químicas que ocorrem no organismo animal. Essas reações ocorrem no interior das células individuais que compõem os tecidos, e suas funções são as de prover energia para a realização das atividades corporais e para formar novas estruturas. 

http://www.aula365.com/

Muito dos alimentos que chegam ao sangue, vindos do tubo digestivo, podem ser usados pelas células teciduais sem qualquer outra alteração adicional, mas alguns tecidos têm necessidade de substâncias químicas determinadas que, normalmente, não são encontradas nos alimentos. Para que essas substâncias sejam produzidas, uma grande parte do alimento absorvido passa por determinados órgãos, onde é transformada nessas substâncias necessárias às células. Esse processo é chamado de metabolismo intermediário.

Durante essa passagem ao longo do tubo digestivo, o alimento é digerido e aquelas frações do alimento com valor para o corpo são absorvidas pelo sangue.

 A intensidade (e a velocidade) do metabolismo em cada célula é aumentada ou diminuída pela ação controladora dos hormônios, secretados pelas glândulas endócrinas, localizadas em várias partes do corpo.

O oxigênio é um dos nutrientes necessários pelos tecidos corporais. É transportado pelo sangue e pelos líquidos teciduais até as células, onde combina-se quimicamente com outros nutrientes, oriundo dos alimentos, a fim de liberar energia. Essa energia, por sua vez, é usada para promover a contração muscular, a secreção de sucos digestivos, a condução de sinais pelas fibras nervosas e a síntese de muitas substâncias necessárias para o crescimento e funções celulares. 

*Os pilares de um corpo saudável - a base é igual para todos. Há exceções como pessoas portadoras de síndromes e doenças raras e problemas imunológicos. 

-------------------------------------------------------

Saindo do tema alimentação (através do ato de comer comida), mas entrando no tema alimentar o cérebro, é oportuno compartilhar a palestra do Profº Pierluigi para aprender a sair do analfabetismo funcional que esse país vive. Caso queira aprender a aprender, dê ouvidos a esse velho professor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário